Postado em 24 de Outubro de 2016 às 16h10

“Cultura e escola: processos e inclusão/exclusão de caboclos”

Notícias em destaque (318)

A diversidade sociocultural se manifesta na vida sócio familiar, nas relações de posse da terra, na expropriação e luta pela permanecia na terra, nos modos de vida e de trabalho. As culturas que se confrontam buscam preservar suas especificidades, mas, ao mesmo tempo, se amalgamam, resultando em novas configurações. São valores que constituem as diferentes identidades socioculturais que se confrontam e se transformam. A cultura perpassa a nossa vida e está presente nas relações econômicas, na ação política, nos valores de um modo geral, ou seja, nos modos de vida. A cultura, acima de tudo, se define nas práticas, no sentir e no agir cotidiano.

O estudo aborda tanto os aspectos inerentes à sociedade quanto à escola. Os educandos vivenciam o processo educativo dentro da instituição escola, a qual é marcada por contradições. A diversidade cultural é saudada, ao menos teoricamente, como elemento vital para a democracia. No entanto, os educandos são recompensados, classificados à medida que se conformam com os estereótipos. Para os educadores, trata-se de uma problemática que convida a repensar, a reinventar a prática pedagógica, cotidianamente.

As ações dos alunos assumem um significado político, em termos de oposição à cultura escolar dominante, contestando a sua legitimidade, e também abrem possibilidades para ações transformadoras. Nesta perspectiva, essas ações assumem características de resistência e, na essência, corroem a validade pretensamente consensual dos valores, normas e códigos da cultura escolar.

Veja também

Como e por que sou professor de literatura e outros estudos de história, crítica e teoria literárias20/10/20 “Como e por que sou professor de literatura e outros estudos de história, crítica e teoria literárias” é o lançamento da Argos, do autor Roberto Acízelo de Souza. A obra reúne trabalhos de diversas datas que vão de 1986 até 2019, que procuram articular as dimensões historiográfica, analítica e teórica,......
“Filosofia do como se”15/07/16 Hans Vaihinger (1852-1933) concebeu o primeiro estudo sistemático da ficção na cultura alemã, a filosofia do como se. Junto com a antropologia literária de Wolfgang Iser, “A filosofia do como se” é a......

Voltar para Notícias