Postado em 21 de Dezembro de 2017 às 16h20

“O cheiro como critério: em direção a uma política olfatória em curadoria”

Notícias em destaque (318)
Essa obra é engajada em novas possibilidades de investigar a atividade de curadoria em seus aspectos inovadores. Entre eles, a possibilidade de abandonar estrategicamente o que o autor da obra, Gaudêncio Fidelis, chama de “regime do ocularcentrismo”, em que o olhar tornou-se o centro absoluto da construção das prerrogativas de formação canônica e, por consequência, regulador das abordagens interpretativas. Como alternativa, o autor propõe o olfato como uma via interpretativa a ser explorada, abrindo um campo de possibilidades para o engajamento de outros sentidos na realização de abordagens curatoriais para a produção artística. Ao fazê-lo, O cheiro como critério inova em sua perspectiva antiformalista do estabelecimento de plataformas curatoriais na atualidade, assim como dá sua contribuição para a produção de conhecimento original para a disciplina de História da Arte e afins.

Veja também

Editora Argos recebe prêmio da ABEU24/08/17 Além de se orgulhar por sua trajetória de sucesso no ensino superior da região oeste, a Unochapecó tem outro motivo para comemorar. A Editora Argos, especializada em publicar e divulgar pesquisas produzidas na Universidade, completa 25 anos de história neste ano. Em reconhecimento à sua contribuição na difusão do conhecimento, a marca recebeu uma......
“Formação humana na sociedade do espetáculo”21/05/19 A obra “Formação humana na sociedade do espetáculo”, lançamento da Argos em parceria com a Editora da Unesc, esclarece uma ideia de cruzamento entre os aspectos fundamentais da educação e a sociedade do......
Unochapecó realiza nomeação da Biblioteca06/08/19 Gabriel Kreutz* A Biblioteca da Unochapecó é conhecida por possuir um dos maiores acervos do oeste catarinense, com mais de duzentos mil títulos. Porém, o abrigo de tanto conhecimento, em 49 anos da Instituição, ainda......

Voltar para Notícias