Postado em 27 de Julho de 2016 às 15h38

“Bandidos, forasteiros e intrusos”

Notícias em destaque (318)

A obra “Bandidos, forasteiros e intrusos: história do crime no oeste catarinense na primeira metade do século XX” faz uma reflexão sobre a criminalidade na região oeste de Santa Catarina na primeira metade do século XX. Através de muitas pesquisas documentais e investigações feitas por meio de jornais, entrevistas, consultas em processos criminosos, arquivados nos municípios de Chapecó e Xanxerê, o autor buscou um entendimento, sobretudo nas décadas de 1920 e 1930, sobre o crime, criminosos, forasteiros e a justiça, a forma como os fatos aconteciam, como eram solucionados, e sua relação com o atributo “terra de gente violenta”, que a região recebeu naquela época.
“O processo de colonização, perpetrado a partir da década de 1920, foi marcado pela disputa violenta, em que as maiores vítimas foram os moradores locais, caboclos e índios. Autos de processos criminais, corroborados por depoimentos de antigos moradores, traçam o perfil de uma situação que privilegiou o uso da força física, política e policial.” (MARQUETTI, 2008, contracapa).
A região era marcada como rota para fugas de bandidos e bandoleiros, como lugar de passagem para forasteiros entre os estados do Rio Grande do Sul e Paraná. O autor ainda problematiza as percepções de testemunhas, advogados, juízes, promotores, delegados envolvidos nos processos a respeito da suposta natureza do crime e do criminoso.

Para adquirir acesse: http://goo.gl/fzLRfJ

Veja também

Lançamento da obra "1968: O Futuro do Passado"27/10/20 A obra "1968: O Futuro do Passado", com organização de André Cechinel e Eduardo Subirats, tem como propósito não só prestar uma homenagem ao cinquentenário do emblemático ano, assim como reafirmar e celebrar a dimensão utópica e revolucionária das revoltas de 68. Os episódios ocorridos nesse ano consagraram uma força......
Educação e Prática Educativa XIII08/09/17 A Argos Editora da Unochapecó participou do curso de capacitação Educação e Prática Educativa XIII. Professores de escolas e universidades parceiras participaram da divulgação e venda no estande da......
“Filosofia do como se”15/07/16 Hans Vaihinger (1852-1933) concebeu o primeiro estudo sistemático da ficção na cultura alemã, a filosofia do como se. Junto com a antropologia literária de Wolfgang Iser, “A filosofia do como se” é a......

Voltar para Notícias