Postado em 28 de Setembro de 2018 às 16h10

“Continuidades efêmeras”

Notícias em destaque (318)

“Continuidades efêmeras”, publicada pela Argos Editora da Unochapecó, é uma obra que reflete sobre discursos que construíram um fragmento da história do periodismo cultural das últimas décadas, girando em torno de algumas revistas literárias e culturais brasileiras. Analisando questões como valor, identidade, cânone e pluralismo, estabelece uma ponte entre essas.

O mencionado projeto agrupa pesquisadores de iniciação científica, mestrado e doutorado, que visam procurar e acrescentar todas as informações em um banco de dados e analisar o periodismo que circulou, ou circula, no Brasil dos anos 1970 aos dias atuais, com o objetivo de analisar as linhagens críticas e poéticas formadoras de nosso campo cultural. A obra foi escrita a partir da análise de duas revistas cariocas que circularam nas últimas décadas no Brasil: 34 Letras e José – Literatura, Crítica & Arte.

Sobre a autora

Simone Dias possui graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, 1990) e é formada no Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos e bacharel em Administração, mestrado (2000) e doutorado (2005) em Teoria Literária pela UFSC. Atua na área de Comunicação organizacional e é professora da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI). É professora do Mestrado Profissional em Práticas Transculturais na Unifacvest. Atua, ainda, em cursos de especialização em Gestão e Multimídia. Sócia e gestora de projetos da empresa Contexto Digital, com foco em educação corporativa, mídias digitais e EAD.

Veja também

Aniversário com 50% de desconto23/08/18 Chapecó, de 1917 até 1953, possuía uma extensão de mais de 14 mil quilômetros quadrados. O vasto território do município tinha início no rio Irani, ao sul fazia divisa com o Rio Grande do Sul, ao norte com o Paraná e a oeste com a província de Misiones, da República Argentina. A ocupação dessa região dentro dos......

Voltar para Notícias