Postado em 21 de Outubro de 2016 às 16h10

“Entre ilustres e anônimos: a concepção de história em Machado de Assis”

Notícias em destaque (318)

A obra “Entre ilustres e anônimos: a concepção de história em Machado de Assis” parte de uma questão entre relações de história e literatura. A autora do livro, Raquel Campos, professora da Faculdade de História da Universidade Federal de Goiás, conta que o interesse de estudar Assis começou com a monografia do trabalho de conclusão de curso, em que, a partir dessa premissa, interessou-se por nosso grande escritor Machado de Assis.

“Então, com a inexperiência própria dos que estão começando, minha intenção era associar os dois aspectos dessa relação entre elas – o uso da literatura como documento e a questão da narratividade da história –, e foi nesse sentido que me voltei para Machado de Assis. Fazendo uso de uma expressão do próprio escritor, eu procurei mostrar que ele poderia ser visto como um ‘historiador contador de histórias’: alguém que contava a história – no caso, a história da escravidão no Brasil – de um modo distinto dos historiadores, focalizando aspectos do mundo escravista que não eram levados em conta pela historiografia de cunho econômico que tivéramos até a década de 1970”, explica a autora Raquel Campos.

O tema central do livro é a história de Machado de Assis, pensada em relação à concepção de história dos historiadores do século XIX. A autora conta que teve dificuldades para acessar a coleção completa da “Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro”.

“Uma das maiores dificuldades que tive foi o acesso à coleção completa da ‘Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro’, no período entre 1839 e 1908, que é o recorte da investigação. As pesquisas que estão na origem deste livro foram realizadas em 2008 e 2009, portanto em um momento em que havia pouquíssima documentação digitalizada no Brasil. E como temos um problema seriíssimo no País, que é o da raridade de boas bibliotecas, o acesso àquela coleção não foi tão fácil”, conta a autora.



Para conferir a entrevista completa com a autora clique aqui.

Veja também

André Cechinel lança obra “O referente errante: The Waste Land e sua Máquina de Teses”07/05/18 André Cechinel, autor de “O referente errante: The Waste Land e sua Máquina de Teses”, ministra, no dia 8 de maio, uma palestra na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com o tema “Tradição e referencialidade em T. S. Eliot”. Após a palestra ocorrerá o lançamento da obra, com sessão de autógrafos.  Sobre o autorDoutor......
“Uma Obra no Mundo: diálogos com Hannah Arendt”10/02/17 Com o interesse de tornar pública a reflexão de Arendt, Benedito Nunes busca uma primeira compreensão da originalidade da filosofia, respondendo à pergunta: para que serve a política? Em seguida, os autores relacionam os......

Voltar para Notícias