Postado em 21 de Março de 2018 às 16h23

Escritoras da Argos se reúnem para bate-papo na Livraria Universitária

Notícias em destaque (318)

Ser mulher nos dias de hoje é uma luta constante por espaço e reconhecimento. Na área da literatura não é diferente. Mas aqui na Unochapecó, desde que a história da Editora Argos começou a ser escrita, em 1992, as mulheres contribuem com os seus conhecimentos. Para reconhecer esses trabalhos e de tantas outras que desenvolvem pesquisas, criam universos e compartilham as suas experiências para o mundo, acontece o Dia da Argos para as Mulheres. O evento é aberto ao público e ocorre nesta quinta-feira (22/03), durante a manhã e a tarde, na Livraria Universitária.

Segundo a coordenadora da Editora Argos, professora Rosane Meneghetti Silveira, a atividade está prevista para acontecer em dois momentos. O primeiro a partir das 10h, onde serão abordadas dicas e orientações sobre a elaboração de referências bibliográficas, com base no livro “Cadernos metodológicos: diretrizes do trabalho científico”, publicado pela Argos. Para participar dessa atividade, é necessário fazer a inscrição antecipadamente, pelo e-mail <argos@unochapeco.edu.br> ou pelo telefone (49) 3321-8118. Também é possível realizar a inscrição na Livraria Universitária.

Já o segundo momento será realizado a partir das 17h30, com uma conversa aberta sobre o tema “Mulher e a Produção Científica”. Para isso, algumas escritoras que publicaram suas pesquisas pela Editora Argos foram convidadas para mediar o bate-papo.

Na história da Argos, os primeiros livros publicados foram escritos por mulheres. As obras refletem a história e o desenvolvimento do oeste catarinense, assim como o ensino da região. A professora Arlene Renk publicou “A luta da erva: um ofício étnico no oeste catarinense” e a professora Hilda Beatriz Dmitruk escreveu “A história que fazemos: pesquisa e ensino de história”. Atualmente, as publicações da Editora contam com 40% da presença de nomes femininos.

Rosane ainda comenta que o encontro tem o propósito de incentivar as autoras locais. “Esse tipo de evento é interessante para divulgar a contribuição das autoras mulheres nessa construção do conhecimento e para mostrar a importância das pesquisas e estudos acadêmicos”, acrescenta.

Texto: Tuanny de Paula


Veja também

Chapecó 100 anos: histórias plurais04/08/17 São diversas as hipóteses relacionadas à origem e ao significado do nome do município. A grande maioria aponta Chapecó como vocábulo de origem Kaingang, que significa: “Donde se avista o caminho da roça”. Com a exploração e o desenvolvimento da região, o rápido e constante crescimento das agroindústrias ampliou o mercado......
Argos lança e-Book do SIEPE 201912/11/19 No dia 30 de outubro foi realizado, durante o 8º Seminário Integrado de Ensino Pesquisa e Extensão (SIEPE) 2019, o lançamento do e-Book “A aproximação dos grupos de pesquisa na universidade” para os......

Voltar para Notícias